Sábado, 2 de Junho de 2007

UM POEMA LINDO

No mais fundo de ti,
eu sei que traí, mãe.

Tudo porque já não sou
o menino adormecido
no fundo dos teus olhos.

Tudo porque tu ignoras
que há leitos onde o frio não se demora
e noites rumorosas de águas matinais.

Por isso, às vezes, as palavras que te digo
são duras, mãe,
e o nosso amor é infeliz.

Tudo porque perdi as rosas brancas
que apertava junto ao coração
no retrato da moldura.

Se soubesses como ainda amo as rosas,
talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
esqueceste que as minhas pernas cresceram,
que todo o meu corpo cresceu,
e até o meu coração
ficou enorme, mãe!

Olha - queres ouvir-me? -
às vezes ainda sou o menino
que adormeceu nos teus olhos;
ainda aperto contra o coração
rosas tão brancas
como as que tens na moldura;

ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
no meio de um laranjal...

Mas - tu sabes - a noite é enorme,
e todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
dei às aves os meus olhos a beber.

Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo-te as rosas.

Boa noite. Eu vou com as aves.

in «Os Amantes Sem Dinheiro» (1950), EUGÉNIO DE ANDRADE


sinto-me
música Ser poeta é, Luís Represas

publicado por Estupefacta às 21:08 | link do post | comentar

4 comentários:
De aspalavrasnuncatedirei a 3 de Junho de 2007 às 18:36
Quando ensino poesia aos meus alunos, analiso com eles este poema. É fantástico, facilmente lhes chega ao coração.

Beijinhos.


De Estupefacta a 3 de Junho de 2007 às 20:45
Estou feliz por te «ter de volta».
Aprendi este poema andava no 8º ou 9º ano (não me lembro - já lá vão mais de 20 anos), mas tocou-me, tal como toca ainda.
E, como não me esqueço, de quando era aluna faço também com que os meus alunos também se sintam tocados por ele.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Estou feliz por te «ter de volta». <BR>Aprendi este poema andava no 8º ou 9º ano (não me lembro - já lá vão mais de 20 anos), mas tocou-me, tal como toca ainda. <BR>E, como não me esqueço, de quando era aluna faço também com que os meus alunos também se sintam tocados por ele. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Gosteva</A> de por uma flor nesta resposta, mas sempre que tento dá-me mensagem de erro. Coisas de novata (nestas andanças)... <BR>Um resto de dia muito feliz


De Someone Else a 3 de Junho de 2007 às 19:17
adoro este poema, simplesmente lindo. Eugénio de Andrade foi um grande poeta..
bjnhos


De Estupefacta a 3 de Junho de 2007 às 20:48
Olá someone_else_but_me .
Obrigada por visitares o meu blog, fico feliz.
Eugénio de Andrade deixou saudades e, de facto este poema é particularmente belo.
Um grande beijinho e uma boa semana


Comentar post

mais sobre mim
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
26

27
28
29
30
31


posts recentes

A Pensar em si

Bendito serás

Feminino Singular

Todos devemos ajudar

Ainda há milagres

Podia

Acordo ortográfico

Gostei de ver e ouvir

Intimidade ou higiéne?

É bonito

Sem título

Agitação social

Desde que

Preciso

A Estupefacta sou eu

Não consigo preparar-me

Como uma mulher pode alte...

Excelente ideia e melhor ...

Genes cor de rosa

E assim se tapa o Sol

arquivos
tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds