Quinta-feira, 31 de Maio de 2007

Não contei nada cá em casa sobre o meu pai, para não preocupar a minha filha que amanhã terá mais uma prova globante .

Se calhar é por isso que desatei a escrever.

As palavras dela,  depois de ter dado uma aspiradela no seu quarto (necessidade diária) foram:

«mãezinha gosto tanto de ti, adoro estas bochechinhas (enquanto me as apertava). De seguida abraçou-me.

Foi o antídoto para a minha enorme tristeza, revitalizaram-me e deram-me força para suportar toda a dor.

És a minha vida.


sinto-me
tags: , ,

publicado por Estupefacta às 19:55 | link do post | comentar

2 comentários:
De aspalavrasnuncatedirei a 31 de Maio de 2007 às 20:04
os filhos são o melhor bálsamo para as tristezas.

Beijos, fica bem.


De Estupefacta a 31 de Maio de 2007 às 20:13
aspalavrasnuncatedirei, O meu blog de eleição.
Obrigada por estares atenta e sempre presente.


Comentar post

mais sobre mim
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
26

27
28
29
30
31


posts recentes

A Pensar em si

Bendito serás

Feminino Singular

Todos devemos ajudar

Ainda há milagres

Podia

Acordo ortográfico

Gostei de ver e ouvir

Intimidade ou higiéne?

É bonito

Sem título

Agitação social

Desde que

Preciso

A Estupefacta sou eu

Não consigo preparar-me

Como uma mulher pode alte...

Excelente ideia e melhor ...

Genes cor de rosa

E assim se tapa o Sol

arquivos
tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds