Quarta-feira, 5 de Dezembro de 2007

 

 

O funcionamento das coisas é muito diferente de Centro de Saúde para Centro de Saúde.

Felizmente que na minha Vila, o Sistema de Saúde funciona de um forma impecável, com consultas diárias, marcadas no local ou por telefone, com consultas de urgência, quer pelo médico de família que por um médico de recurso, com um Atendimento Complementar (a partir das 18 Horas), que nem as melhores clínicas da Capital. Sr. Ministro da Saúde tem de vir cá à «minha terra» se quer fazer campanha.

 

Hoje num dos centros de saúde da Capital achei uma coisa estranha. Fui levantar as receitas da minha mãe e, como não anda bem, perguntei de haviam consultas de urgência. A resposta foi pronta: temos diariamente consultas que são marcadas a partir das 10 horas.

Boa. Olhei para o relógio , que marcava 10h15, e disse que queria, então marcar a consulta.

- Não pode... tem de ser pelo telefone.

- Mas, não é a senhora que marca?

- Sou, mas pelo telefone.

- Mas, não tem agora a agenda da médica? Ainda insisti para tentar perceber.

- Tenho, mas só por telefone.

Como não ando muito bem disposta, porque tenho a Maria outra vez com gripe, porque os meus pais estão cheios de problemas, porque tenho muito trabalho na escola, porque não queria dar uma resposta das minhas.... agradeci a disponibilidade e desejei-lhe um bom dia.

Liguei de imediato para um dos meus irmãos, dei-lhe os contactos do Centro de Saúde, o número de Utente da minha mãe e, passados, 5 minutos eis a resposta: «A mãe tem consulta hoje às 17 horas, é o número 8».

Fiquei parva... então aquela senhora não poderia ter marcado logo a consulta????!!!!

Sistemas . Uns funcionam bem, outros nem por isso.

 

 


 

 

Mais um.

A idade da reforma queria-se tranquila, com alguma qualidade de vida, com alguma (muita) tranquilidade de forma a que se aproveitasse o resultado de uma vida de trabalho.

Estou errada?

Os meus queridos pais não o conseguem fazer....

A minha mãe porque está com uma depressão daquelas que nem com medicação já lá vai.

Anos de sofrimento, de trabalho, de angústias. Primeiro criar os 6 filhos, a morte de um deles, o nascimento da minha primeira sobrinha (com trissomia 21), o linfoma diagnosticado ao meu sobrinho Dudas quando apenas tinha 4 anos (os meses de quimioterapia, as operações, os internamentos no IPO, a vigilância sempre apertada e com aperto no coração), depois a doença do meu pai (tem alturas que perde a noção das coisas e de quem é) e agora o linfoma de uma das minha cunhadas.... Quem não estaria deprimido?

O meu pai, porque tem uma doença que lhe diminui as capacidades, quer físicas quer mentais, acaba por não usufruir do que lhe resta da vida.

Alturas há em que está muito bem, mas outras em que nem se lembra onde vive.... Trabalhou uma vida inteira, atingiu a idade da reforma, mas já não a está a desfrutar com a qualidade que se pretendia. Depois, claro, também não ficou imune a tudo o que se passava na família, embora tenha sido sempre o elemento âncora. Se calhar também por isso.

Agora não conseguem estar juntos, são 50 anos (irão ser comemorados no próximo dia 1 de Janeiro) de vida em comum em que tudo o que resta são pequenas discussões, por tudo e por nada, queixas dos 2 lados, saturação.... embora, saiba que não se podem «ver um sem o outro».

Depois lá anda a Maria Estupefacta de um lado para o outro que nem bombeira voluntária, porque não tem família. Esta é a verdade... para os meus irmãos ser divorciada é não ter família. Não se lembram que não ter outra pessoa implica que não haja partilha de responsabilidades e de afazeres e, por conseguinte, o trabalho é centrado só em mim.... mas enfim.

Isto é mais um dos meus desabafos aqui com os meus amigos... Porque a verdade é que já nem tenho tempo de para o fazer de outra forma.

 

 


sinto-me cansada

publicado por Estupefacta às 19:15 | link do post | comentar

13 comentários:
De Migas a 5 de Dezembro de 2007 às 23:14
Eu acho que tinha pegado no telemóvel e lhe tinha telefonado, a olhar para ela, empoleirada no guichet se fosse o caso. Mulherzinha parva!! Provavelmente até è regra... será para ficar gravado? Mas é parvoíce na mesma...

Deve ser muito complicado ver os nossos pais a envelhecer. Os meus são novos, ainda andam aí para as curvas, mas de vez em quando, lá tentam fazer de mim o árbitro para os arrufos.. à distância.
Cada vez mais me sinto "ensanduichada" entre os meus pais e os meus filhos...

Beijos (melhoras para todos, especialmente a Maria)


De Estupefacta a 6 de Dezembro de 2007 às 18:34
Olá Migas

De facto, foi o que me apeteceu fazer, mas depois pensei no meu fraco saldo e que a senhora, tal como eu, não deveria estar muito bem. Resolvi não fazer isso para não a humilhar e, tal como dizes, se calhar até é uma regra... que a meu ver poderia ter sido quebrada.
Custa-me muito ver os meus pais como estão. Eram pessoas cheias de vigor, de alegria.... um porto de abrigo para mim e agora não fazem nada sem que eu esteja presente. É triste.
Nem calculas as vezes que a minha mãe me ligou enquanto estava a escrever esta resposta e tinha acabado de vir de lá de casa, porque a Maria não tem ido à escola e eu não posso faltar. Custa-me horrores perceber que estão a caminhar para o fim e sem qualidade.
Um grande beijinho


De Sorrisoduplo a 6 de Dezembro de 2007 às 08:17
Eu definitivamente tinha feito como o Migas... em frente à criatura tinha pegado no telemóvel e marcado a consulta... até custa a acreditar tamanha estupidez... enfim.
Amiga a tua vida não é fácil... admiro desde já a tua capacidade de te manteres bem... Força para continuares a ajudar quem precisa.
Melhoras da Maria (e resto da família )
Beijinho


De Estupefacta a 6 de Dezembro de 2007 às 18:37
Sabes Lágrima, há pessoas que são pouco sensíveis, mas também podia estar cheia de problemas e nem lhe ter ocorrido. Sei lá, nem consigo justificar o que não tem justificação.
Não é fácil manter-me bem ou pelo menos tentar... Acabo por não ter vida própria, vivo em função deles e da Maria e isso deixa-me por vezes uma certa angústia, mas se não os tivesse não aguentaria. Eles são parte da minha vida.

Um grande beijinho e obrigada.
A Maria hoje ainda está pior, está apática, o que não é nada normal nela.


De CONAMEN a 6 de Dezembro de 2007 às 09:30
Ola; ta boa a senhora? Eu aqui não fui mal educado. Só espicassei um pouquinho. Reparei que passas as vistas em blogs eroticos de vez em quando, mas eu só espicasso brutalmente quando reparo que certas bloguistas abusam psicologicamente de rapazolas mais fracos de cabeça; que se passeiam tambem por estes, de caracter erótico ligeiro. Reparei que ficaste tambem espantada, porque eu critiquei uma do "Diario de uma tola apaixonada" não sei se sabes, mas aquela criatura comentou que ja lhe passou pela cabeça suicidar-se. Se acompanhas-te minhas criticas, eu lá, fui bruto, mais ou menos mal educado, mas fui lhe passando ao mesmo tempo alguns videos de auto ajuda que existem no you tube -- Bob Proctor says about sucess; Quantum Physic applied to Mind Power - Part 1 of 10 convem assistir os 10 episodios para entender; e por fim: Everybody's Free to Wear Sunscreen! (ORIGINAL VERSION). Uma pessoa que pense em suicidar-se, por norma quer ser o centro das atenções, se tu das a entender que te preocupas com ela, em média os teus conselhos entram a 100 e saem a 200 e ela só dá a atenção à tua preocupação e a ti e passa a depender emocionalmente de ti, mas continua com os mesmos problemas.
Em alguns casos, se es bruta; o interlocutor preocupa-se mais com ele proprio.
Passando a frente. Ela no blog dela vinha lamuriar-se. Neste caso, a tendencia era aumentar a depressão, porque pessoas como tu, iam la e diziam :- sim filha, continua!......... Sei que não era de proposito, mas isso não fazia bem. Daí eu dizer-lhe " que ninguem vem para a internet para ouvir Lamurias" e insisti nesse ponto.
Ela continua com adversão ao CONAMEN, mas o que importa é que interiorizou todos os meus pontos.
De resto, para mim critico, é a minha paixão, pouco ortodoxo no caso de ver em certos blogs manietação psicológica. No teu caso, foi porque reparei na tua tendencia defensiva, por onde eu tenho passado.
Até a proxima.



De Lua de Sol a 6 de Dezembro de 2007 às 12:53
Olá!

1º - As melhoras para a Maria.

2º - Faz-me enorme confusão constatar que de centro de saúde para centro de saúde (para não falar de ano para ano) os sistemas funcionam de forma diferente e olha que até de um bairro para o outro muda (aqui em Lisboa)!!!!

3º - Ok, há regras... mas a cabecinha das funcionárias não terá algum bom senso? Quando vemos pessoas a falar mal da Função Pública e coisa e tal - que também se passa em empresas privadas - é exactamente por atendimentos cretinos e por empregados que complicam, seguem burocracias ou ainda criam mais algumas. Dava vontade de lhe ligar do telemóvel do canto da sala e de lhe acenar sorridente! Eheh!

4º - É quando os pais começam a envelhecer visivelmente, para além de um cabelo branco ou de uma ruga, que nos damos conta de que são humanos e frágeis... Que não são super-heróis como sempre os imaginámos e isso causa tristeza e receio...

5º - A tua família é uma família bonita, unida e abençoada pelo amor que a une, mas realmente parece ter tido pouca sorte com algumas coisas de saúde. Todavia, até sobre essas coisas menos afortunadas se tem portado à altura. Muitos não o conseguiriam. Pode parecer-nos normal, do género "então, o que haviam de fazer?!"... Eu diria "isso mesmo!", mas sei que nem todos o fariam...
E sabes que realmente é triste ver que pessoas que se esforçaram tanto não descansam nunca e que a vida nem para o fim lhes reservou sossego. Vi o mesmo na minha avó... E eles discutirem deve ser natural, a vida trouxe-lhe coisas pesadas, que os cansou e continua a cansar... A mente também se satura... Espero que venha outra fase... O que importa é que se amam.

6º - Ser a única divorciada deve ser chato, pois, olham para ti como se não tivesses que contar com mais ninguém, que estivesses disponível... não vêem que tens a Maria e tudo para fazer sozinha... Acredito que cansa... Mas não sabes e não és de dizer "não"... Como te compreendo... Também cai sempre tudo em cima de mim...

Beijos muitoooo grandes e muita força, a vida pode sempre melhorar, é só dar tempo ao tempo


De Genny a 6 de Dezembro de 2007 às 14:01
Realmente há centros e centros de saúde. Não tenho grandes queixas do meu, mas há cada história...
Por vezes parece que o universo se juntou todo de uma vez para nos fazer mal, vem tudo de uma vez. Não te acomodes a essa situação de disponível por estar divorciada, faz ver aos teus irmãos que também são pais deles, senão vai ser sempre assim. Também acho que deve ser muito triste não poder gozar a reforma com saúde.
Um abraço muito forte para ti e as melhoras para os teus pais.
Beijinhos


De Estupefacta a 6 de Dezembro de 2007 às 18:43
Genny

Hoje estou outra vez de rastos e não consigo sequer controlar as lágrimas tal é o cansaço. Já falei com os meus irmãos, mas de nada valeu. Sempre os habituei a que fosse eu a tratar de tudo e agora é difícil para eles prescindirem da sua condição de espectadores. A verdade é que também tenho um horário com maior flexibilidade , mas passo muitas horas, pela noite dentro, a trabalhar e isso ninguém vê.
Os meus pais envelheceram de um momento para o outro e isso custa-me, porque caíram a pique.
Um grande beijinho e obrigada por estares sempre presente


De Luna a 6 de Dezembro de 2007 às 14:53
oi amiga linda,

quantas preocupações afligem a sua vidinha não é? mas, olha... eu vejo que tens muita fé e eu também tenho ... penso que tudo isso vai passar ou pelo menos melhorar... E quanto ao que pensam os teus irmãos, temo que sofrerei do mesmo problema agora, que estarei retornando a casa dos meus pais... sem família? ocupe-se com a deles.. eu sei disso e bem te entendo, mas vc tem a Maria... sua filha tão linda e que escreve tão bem ...

Te gosto muuuuuuuuuuuuuuito viu?

beijinhos aos montes

Luna

Conte comigo... :o)


De Estupefacta a 6 de Dezembro de 2007 às 18:48
Querida Luna

Deus tem-me dado muita força, mas há momentos em que me sinto esgotada. Eu posso compreender os meus irmãos, eles até têm horários mais rígidos e sempre os habituei a tratar de tudo. Mas também tenho a Maria e ela precisa de mim e muito. Sinto que muitas vezes venho para casa esgotada sem a mínima paciência para ela. Dou graças a Deus por ter a filha que tenho, porque muitas dos dias é ela que me dá ânimo e forças com as suas palavras e brincadeiras.

Um grande beijinho e obrigada pelas tuas palavras repletas de carinho


De Anjos a 6 de Dezembro de 2007 às 16:07
Olha, hoje a mim já me fizeram chorar nas finanças, por isso.


De Estupefacta a 6 de Dezembro de 2007 às 18:49
Olá Amiga
Não sei o porquê das pessoas complicarem o que por vezes só por si já é tão complicado. às vezes penso que é uma forma de mostrarem autoridade, mas confundem-na com autoritarismo.
Um grande beijinho


De Milena a 7 de Dezembro de 2007 às 18:53
Olá Amiga!
Passei para mandar um enorme beijinho, e como tu tão bem sabes Deus está sempre a dar-nos desafios, e nós temos que sabe-los ultrapassar com muita Força, Luz, Coragem, porque é isso que Ele espera de nós. Só que ás vezes cansamos e fraquejamos, mas com o amor e carinho dos que estão perto de nós lá levantamos e cabeça e aí vamos nós de armas em punho enfrentar a vida.
Quero-te dar muita força para enfrentares esses momentos menos bons de saúde que os teus pais estão atravessando.
Um beijinho grande!


Comentar post

mais sobre mim
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
26

27
28
29
30
31


posts recentes

A Pensar em si

Bendito serás

Feminino Singular

Todos devemos ajudar

Ainda há milagres

Podia

Acordo ortográfico

Gostei de ver e ouvir

Intimidade ou higiéne?

É bonito

Sem título

Agitação social

Desde que

Preciso

A Estupefacta sou eu

Não consigo preparar-me

Como uma mulher pode alte...

Excelente ideia e melhor ...

Genes cor de rosa

E assim se tapa o Sol

arquivos
tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds