Quinta-feira, 11 de Outubro de 2007

 

 

Fui ao veterinário com o Óscar para uma consulta de rotina. Vacina, desparasitante, mais coisa menos coisa e vai perto de «muito dinheiro». Foi lindo!

 

A minha filha tem vacinas gratuitas (pelo menos as que pertencem ao sistema nacional de vacinação), o desparasitante dela - sim porque toma, sobretudo no início do calor, contra as lombrigas - custa pouco mais de 5 Euros, pago 3,99 Euros de consulta no pediatra (ADSE, clínica de Santo António) e agora esta fortuna pelo cão?!!

Perguntei logo se não tinham acordo com um sub-sistema de saúde, se o recebi dava para pôr no IRS e se não queriam ser os novos donos (esta última parte não foi a sério).

 

Já nem um cãozinho se pode ter.... Fazendo as contas, tenho outro «filho» cá em casa. Elé é comida, tosquia 2 vezes por ano,  ossos para brincar, ossos para a dentição (e são caros!!!), toalhitas para limpar o pelo e as patas, mantinha para o frio, impermeável para a chuva, antibióticos (iguaizinhos aos nossos).... Só faltam mesmo as galochas e o chapéu de chuva.

Até para ser cão é preciso sorte!

 

 

 



 

 

MAS NEM TODOS TÊM ESTA SORTE.

 

Li o post da Infiel e vi que há realidades bem cruas e duras. Por isso resolvi dar continuidade a este post, transcrevendo esta história:

 

>"1ª semana - Hoje completei uma semana de vida. Que alegria ter chegado a este mundo !
>
>1 mês - A Minha mãe cuida muito bem de mim. É uma mãe exemplar!
>
>2 meses - Hoje separaram-me da minha mãe. Ela estava muito irrequieta e, com seu olhar, disse-me adeus.
>
>Espero que a minha nova "família humana" cuide tão bem de mim como ela o fez.
>
>4 meses - Cresci rápido; tudo me chama atenção. Há várias crianças na casa e para mim são como "irmãozinhos".
Somos muito brincalhões, eles puxam-me o rabo e eu mordo-os na brincadeira.
>
>5 meses - Hoje deram-me uma bronca. A Minha dona ficou incomodada porque fiz xixi dentro de casa. Mas nunca me haviam ensinado onde deveria fazê-lo. Além do que, durmo no hall de entrada. Não deu para aguentar.
>
>8 meses - Sou um cão feliz! Tenho o calor de um lar; sinto-me tão seguro, tão protegido...
Acho que a minha família humana me ama e me dá muitas coisas.
O pátio é todinho para mim e, às vezes, excedo-me, cavando na terra como meus antepassados, os lobos quando escondiam a comida.
Nunca me educam. Deve ser correcto tudo o que faço.
>
>12 meses - Hoje completo um ano. Sou um cão adulto. os meus donos dizem que cresci mais do que eles esperavam.
Que orgulho devem ter de mim!
>
>13 meses - Hoje acorrentaram-me e fico quase sem poder movimentar-me até onde tem um raio de sol ou quando quero alguma sombra.
Dizem que vão me observar e que sou um ingrato. Não compreendo nada do que está a acontecer.
>
>15 meses - Já nada é igual... moro na varanda.
Sinto-me muito só. A Minha família já não me quer! As vezes esquecem-se que tenho fome e sede. Quando chove, não tenho tecto que me abrigue...
>
>16 meses - Hoje tiraram-me da varanda. Estou certo de que a minha
família me perdoou. Eu fiquei tão contente que pulava com gosto. O meu rabo parecia um ventilador. Além disso, vão levar-me a passear!
>Dirigimo-nos para a estrada e, de repente, pararam o automóvel.
>
>Abriram a porta e eu desci feliz, pensando que passaríamos o nosso dia no campo.



Não compreendo porque fecharam a porta e se foram. "Ouçam, esperem!" lati... esqueceram-se de mim... Corri atrás do carro com todas as minhas forças.A minha angústia crescia ao perceber que quase perdia o fôlego e eles não paravam. Haviam me esquecido!
>
>17 meses - Procurei em vão achar o caminho de volta ao lar. Estou só e sinto-me perdido ! No meu caminho existem pessoas de bom coração que me olham com tristeza e me dão algum alimento. Eu agradeço-lhes com o meu olhar, desde o fundo da minha alma. Eu gostaria que me adoptassem:
Seria leal como ninguém! Mas apenas dizem: "pobre cãozinho, deve ter-se perdido."
>
>18 meses - Um dia destes, passei perto de uma escola e vi muitas crianças e jovens como os meus "irmãozinhos" aproximei-me e um grupo deles, rindo, atirou-me uma chuva de pedras "para ver quem tinha melhor pontaria".
Uma dessas pedras, feriu-me o olho e desde então, não vejo com ele.
>
>19 meses - Parece mentira. Quando estava mais bonito, tinham compaixão de mim. Já estou muito fraco; meu aspecto mudou. Perdi o meu olho e as pessoas mostram-me a vassoura quando pretendo deitar-me numa pequena sombra.
>
>20 meses - Quase não posso mexer-me. Hoje, ao tentar atravessar a rua por onde passam os carros, um acertou-me. Eu estava no lugar seguro chamado "berma", mas nunca esquecerei o olhar de satisfação do condutor, que até se vangloriou por acertar-me. Oxalá me tivesse matado. Mas só deslocou as patas traseiras. A dor e terrível. As minhas patas traseiras não me obedecem e com dificuldade arrastei-me até a relva, na beira do caminho.

*
Faz dez dias que estou de baixo do sol, da chuva, do frio, sem comer. Já não posso mexer-me. A dor é insuportável. Sinto-me muito mal, fiquei num lugar húmido e parece que até o meu pelo está a cair...
>
>Algumas pessoas passam e nem me vêem; outras dizem: "não te chegues perto".
Já estou quase inconsciente; mas alguma força estranha me faz abrir os olhos. A doçura de sua voz fez-me reagir. "Pobre cãozinho, olha como te deixaram", dizia...
>
>Com ela estava um senhor de avental branco. Começou a tocar-me e disse:
"Sinto muito, mas este cão já não tem remédio. É melhor que pare de sofrer". A gentil senhora, com as lágrimas rolando pelo rosto, concordou.
>
>Como pude, mexi o rabo e olhei-a, agradecendo-lhe que me ajudasse a descansar. Somente senti a picada da injecção e dormi para sempre, pensando em porque tive que nascer se ninguém me queria..."

>

foto de um cão depois depois de uma luta

*

*

*

Amigos, a solução não é abandonar um cão na rua, mas sim educa-lo. Não transformem em problema tão grata companhia. Ajudem a abrir a consciência dos ignorantes e, assim, poder acabar com os maus tratos aos animais, especialmente com o problema de cães de rua. Passa esta mensagem a quantas mais pessoas puderes se o achares importante!!!

 

 

 

ANIMAL avança com grande campanha para implementar em Portugal uma nova e moderna lei de protecção dos animais

Campanha “Manifesto ANIMAL, Pelo Fim dos Crimes Sem Castigo” apresenta e defende uma proposta orientadora para um Código de Protecção dos Animais que, se aprovado pelo Parlamento, virá finalmente reformar, modernizar e tornar mais justa a protecção legislativa dos animais em Portugal

 

 

............................................. para ler o manifesto  

 

 

............................................. para entrar no site

 


sinto-me Parva mesmo

publicado por Estupefacta às 01:15 | link do post | comentar

9 comentários:
De NãoTenhoBlognoSapo a 11 de Outubro de 2007 às 01:31
Avisa o Óscar q felizmente ele n passa fome! É que o q s gasta na alimentação dos animais domésticos no mundo dava p acabar c a fome (humana) no mesmo:D

É td uma questão de perspectiva e d prioridades;)

**


De Estupefacta a 11 de Outubro de 2007 às 01:47
Olá
É uma perspectiva. A fome humana do Mundo eu não posso acabar com ela, infelizmente. Mas faço a minha parte. Não é por haver fome no mundo que vou deixar passar fome a minha filha
Quanto ao Óscar, não tem culpa...
Um abraço


De Jorge a 11 de Outubro de 2007 às 12:32
Infelizmente quanto mais o ser humano supostamente evolui, mais barbaridades desta natureza ocorrem a um ritmo alarmante, nomeadamente em épocas de férias...

Perante tal vergonhosa realidade, pergunto a mim mesmo com frequencia, que é que será afinal o animal...



De Estupefacta a 11 de Outubro de 2007 às 15:13
Olá Jorge
Eu fiquei bastante sensibilizada com esta história. Dei por mim a imaginar como seria com o Óscar e não sei como podem ser cometidas tamanhas atrocidades.
Tens muita razão na pergunta que fazes... eu também me pergunto o mesmo.
Um beijinho grande


De drink a 11 de Outubro de 2007 às 19:28
Não sei que dizer..
Também eu um dia.. ...era pequena e não conseguia ver o pelo à Rufa de tanta carraça que tinha. Nunca a tratei mal, até porque sempre gostei dela.. Se fiz o que fiz, foi porque na altura não encontrei solução. Não sei onde é que ela apanhou aquela praga, mas não dava para lidar com a situação, como todos sabemos as carraças matam, e quando se pegam ao homem é difícil sair, tínhamos esse risco, envergonho-me tanto!
Chorei com o texto, senti-me culpada, senti saudades da Rufa!
Acho que nunca a vou esquecer .. eu ainda andava na primaria, já passaram muitos anos! E ainda hoje me lembro dela lá no pátio..

Também já paguei caro o meu acto, duas cadelinhas que tive, uma primeiro outra uns anos depois... cruzadas rotwiller e boxer , eram tão lindaaaaaas , a uma tb chamei Rufa, morreu com 3 meses! ): A outra pensei que foce do nome (Rufa), decidi mudar de nome, ficou Slimp , ficou muito doente, de tal forma que não andava, tinha que lhe dar os comprimidos à boca.. morreu.. está enterrada debaixo da casa do vizinho, ele nem sonha..
foi merecido o que me aconteceu.. tenho pena! Eu adoro cães.. enfim, o meu acto não se perdoa, não sou digna de ter animais..! Até os peixinhos me morrem.. e não é por falta de atenção que dou à bicharada!
Não sei que dizer.. apenas que me envergonho bastante!

Bjinho grande.. Diana


De Estupefacta a 11 de Outubro de 2007 às 21:11
Não tens de te envergonhar. Todos nós erramos e cometemos coisas impensadas que, depois, com a maturidade nos trazem alguma angústia. O importante é aprendermos com isso. Ainda agora estava ao telefone com o meu irmão que caiu ao andar atrás do Óscar e fartei-me de rir... Disse-lhe que não devia ter corrido, respondeu-me: era de noite e se ele fosse para o Monte nunca mais o vias. De repente imaginei isso. Brrrr , Brrrr . Ele dá trabalho e despesa, mas gosto mesmo dele. Faz parte da família, eh eh.
Um beijinho e nada de vergonha. Assumir e ter a coragem de o dizer publicamente é um acto que revela muita nobreza.
Beijinhos


De daplanicie a 11 de Outubro de 2007 às 20:06
Chocante mas verdadeiro. O meu Óscar também é um sortudo dos que têm tudo o que precisam. No entanto nós também temos sorte pq ele é um cão muito amigo dos donos. Um dia que foi atropelado, eu ia com ele ao colo para o veterinário, ele com a pata estraçalhada e escorrendo sangue por todo o lado mas foi o caminho todo a lamber-me a mão ( essa "brincadeira ficou-me à volta de 2000 €).
Beijinhos


De Estupefacta a 11 de Outubro de 2007 às 21:14
Isso é que é um acto de ternura e de lealdade. O senhor que mora no andar de baixo leva o Óscar muitas vezes a passear (porque há dias em que chego muito tarde) e ele diz-me sempre: há alguém que nos faça esta festa toda e mostre tanta alegria só por nos ver chegar? É verdade... Os humanos esquecem-se disso.... Os animais mostram sempre gratidão.
Um beijinho grande.
Eu também estou farta de gastar dinheiro com ele, porque as coisas são todas muito caras e as consultas também, mas não me arrependo.
Um beijinho amigo muito grande


De Infiel a 12 de Outubro de 2007 às 11:52
Obrigado pelo interesse e defesa dos animais
obrigado por teres feito com que outras pessoas se interesassem
Obrigado por existires

Podemos não evitar a fome no mundo todo mas, podemos evitar a morte dos que cruzam nosso caminho e cuidar do que é nosso


Comentar post

mais sobre mim
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
26

27
28
29
30
31


posts recentes

A Pensar em si

Bendito serás

Feminino Singular

Todos devemos ajudar

Ainda há milagres

Podia

Acordo ortográfico

Gostei de ver e ouvir

Intimidade ou higiéne?

É bonito

Sem título

Agitação social

Desde que

Preciso

A Estupefacta sou eu

Não consigo preparar-me

Como uma mulher pode alte...

Excelente ideia e melhor ...

Genes cor de rosa

E assim se tapa o Sol

arquivos
tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds