Terça-feira, 9 de Outubro de 2007

 

 

 

 

 

Para quem não tinha reparado, apaguei o blogue de «Mãe» com muita pena minha, mas ao instalar um novo contador apanhou uma «virose». Ficava todo vermelho e não se conseguia ler rigorosamente nada.

Tive pena, mas pensei que neste também posso escrever coisas sobre a Maria (e já o tenho feito).

Não sei se se passa com todos os filhos, até porque só tenho esta, mas a Maria não faz rigorosamente nada sem me dar conhecimento.

 

- Mãe, já lavei os dentes.

- Mãe, vou comer chocolate.

- Mãe, vou ouvir música.

- Mãe, vou fazer os trabalhos.

- Mãe, vou ligar o telemóvel.

- Mãe, vou beber um sumo.

- Mãe, vou ver televisão.

- Mãe, vou jogar.

......

Não parava de enunciar.

 

Sempre foi assim, desde a mais tenra idade. Na altura pensei que iriam chegar os dias em que não me comunicava nada...

Hoje, com quase 12 anos, continua a ser exactamente da mesma maneira.

É normal????

 

Falta-me o Senhor GNOMO (PERDOE-ME!) para me dar uma explicação lógica. 

 

 


sinto-me

publicado por Estupefacta às 12:10 | link do post | comentar

27 comentários:
De Infiel a 9 de Outubro de 2007 às 13:44
não tenho filhos por isso não te posso responder mas, lembro-me que quando era pequenita.... não dava explicações á minha mãe o que deve fazer de mim, uma pessoa sempre muito independente e, por oposição, a tua filha uma menina que precisa de aprovação Talvez...

O importante é que ela é tua e que te ama tal como tu a ela



De Lua de Sol a 9 de Outubro de 2007 às 16:41
Acho que é normal. Depende da natureza (personalidade) de cada criança. Se tivesses 3 como eu percebias que em muita coisa são muito parecidos e noutras parece que são filhos de casais diferentes, eheh!
Mas ainda vai chegar o dia que vais ouvir menos "mãe", porque vai... Chega a todos, mais a uns menos a outros, mais cedo para uns mais tarde para outros... E vais ter saudades! Ahah!
Mas é bom... que ela dê tanto uso à tua condição:)
Beijocas para as duas


De Estupefacta a 9 de Outubro de 2007 às 21:48
Olá Sara
Confesso que as vezes me sinto um pouco preocupada. A Maria, embora não deixe transparecer, é uma adolescente (será que já e?) insegura... se calhar como todas. É engraçado, mas não me recordo muito bem desta fase da minha vida. Acabamos por apagar da nossa memória certas coisas menos boas e depois dá-nos uma branca.
O meu receio (se é que se pode dizer) é que ela sinta pela sua vida necessidade constante de aprovação.
Três do calibre desta não iria aguentar... coitada da minha mãe (agora dou-lhe tanto velos) com cinco e todos tão diferentes (até fisicamente: há para todos os gostos - loiros de olhos azuis, morenos... mas todos dos mesmos «fabricantes»), com diferença de 2 anos entre cada um (claro!!!)
Um grande beijinho, mulher e mãe de coragem.


De Lua de Sol a 9 de Outubro de 2007 às 23:21
O meu primeiro comentário foi mais descontraído... falando a sério. é provável que sejas um pouco exigente, é provável que ela seja um pouco insegura, mas nada de preocupante. E também é provável que seja um pouco carente ou que tenha transposto toda a afectividade dela para ti, que, na minha opinião, é mais isso. Não te esqueças que durante muito tempo foste "mãe" e "pai" dela, numa fase importante da vida dela. Acho que é mais isso, mas não dês relevância, porque até acho que é bom. Ela necessita de aprovação e escolheu-te a ti, alguém que considera e que ao aprová-la lhe vai dando auto-estima. Com essa auto-estima vai ganhando confiança e asas para mais tarde voar. Aproveita bem a influência que tens naturalmente sobre ela. Acho que até tens sorte. E não te preocupes, goza antes a proximidade que tens. as crianças de agora - por vários factores - são emocionalmente mais infantis do que nós. Não em tudo mas em muitas coisas. Ela reconhece-te e adora-te, é o ponto que faço da situação. E sei do que falo. O resto virá com o seu tempo. Não forces nem afastes, não há necessidade. espero que fiques mais descansada:)
Beijocas
Boa noite


De Estupefacta a 10 de Outubro de 2007 às 20:28
Ontem não pude responder porque a Maria pediu-me que lhe fizesse perguntas para o teste que ia ter hoje e acabei por estar com ela.
Eu acho que ela precisa de se sentir aprovada e útil. Mas isto tem a ver com uma fase menos positiva que estamos a passar (não posso explicar aqui). Há pessoas que estão na nossa vida só para nos pôr em baixo, parece que precisam disto para serem felizes. O facto de a estar sozinha com ela ajuda a que tenha uma postura mais exigente. É estranho, mas parece que «tenho de prestar provas».... bem não posso alongar-me, mas tu sabes ler nas entrelinhas.
Um beijinho e obrigada pelo apoio


De Estupefacta a 9 de Outubro de 2007 às 21:41
Sabes Infiel, por vezes penso que é de mais, associo a uma certa insegurança da parte dela. Ela tem muita necessidade de aprovação, lá isso é verdade. Será que sou uma mãe muito exigente?
Um grande beijinho


De Infiel a 13 de Outubro de 2007 às 22:57
Não sei minha querida, só tu o saberás
educar um outro ser... não é facil mas os passaros ensinam os filhos a voar.....

Um abraço


De Estupefacta a 14 de Outubro de 2007 às 00:30
Tens razão amiga... muitas vezes eu voo por ela. Um dia num post explico o porquê desta minha atitude.
Um grande beijinho


De Pedro de Sousa a 9 de Outubro de 2007 às 14:18
Ola

Claro que sim... afinal porque não?

O meu filho tem 10 e faz exactamente o mesmo... penso que precisam do nosso apoio, mesmo sabendo que vamos dizer que sim

Enfim... miudos

Beijinhos


De Estupefacta a 9 de Outubro de 2007 às 21:51
Bom Pedro, considero-te um homem com MUITA sabedoria e se achas normal, fico mais tranquila.
Um grande beijinho


De Pedro de Sousa a 10 de Outubro de 2007 às 12:19
[^o]

Pois... Eles não sao adultos miniatura... uns crescem mais depressa, tornam-se independentes mais depressa (a minha filha)... outros não (o meu filho)...

Mas quando ela se começar a desembaraçar sem ti, como te vais sentir? com uma satisfação ou com um amargo de boca? (eheheh pergunta com agua no bico)

Beijinhos


De Estupefacta a 10 de Outubro de 2007 às 14:13
Pois... não sei. Neste momento a resposta era: sentir-me-ia muito bem. Com satisfação. Era bom sinal, sinal de que estava a crescer, a ficar mais madura.
Mas (há sempre um mas), pensando bem, iria sentir-me um pouco «à deriva»... Ela preenche muito do meu tempo e do meu espaço... Teria de encontrar soluções, ocupações, outras coisas. Quem sabe voltar aos caminhos da faculdade (já pensei nisso), é sempre um bom psicólogo. Mas sei que isso vai acontecer e vou deixar.
Um beijinho


De Pedro de Sousa a 10 de Outubro de 2007 às 18:21
E a resposta é.... ainda bem que se tornam independentes

Todos nós fomos crianças... todos nos tornamos adultos... e nenhum de nos lamenta, apesar de tudo a liberdade e responsabilidade que adquiriu

Tudo o que faça na vida é estimular os meus filhos a serem independentes, principalmente o rapaz... que vou ficar sem eles... e depois? Amar é dar liberdade, e ensinar como a utilizar

Costumo dizer "Deus emprestou-me estes dois seres para eu fazer deles adultos responsáveis"...

Se eles ficarem dependentes de mim ficarei sempre com um amargo de boca, pensando no que lhes iria acontecer se eu lhes faltasse...

Que partam, assim que se sentirem bem... eu ve-los-ei partir, com o coração dividido entre o desejo de os ter junto de mim e o desejo que eles vivam felizes...

Mas o meu desejo egoista não conta... só a liberdade deles...

Goza-te da tua filha... utiliza essa ligação para a fortaleceres como mulher independente, estimulando-a à acção, à decisão... e cria algo para ti, independente dela...

Desculpa a conversa, ja vai longa... se quiseres continuamos por mail (mikerinos@sapo.pt)

Beijinhos





De Estupefacta a 10 de Outubro de 2007 às 20:21
Sabes a típica frase: por um lado...., mas no entanto.... ou por outro....
É melhor explicar por email, é que faço lonas dissertações, dou daquelas que para explicar uma coisa, dá a volta ao mundo.
Beijinhos


De Pedro de Sousa a 12 de Outubro de 2007 às 03:02
Então cá te espero...

Não te enviei nada poruqe não sei o teu mail...

Beijinhos


De Estupefacta a 12 de Outubro de 2007 às 07:02
Olá Pedro
O tempo é um grande condicionante. Desculpa.
O meu email : www.estou_estupefacta@sapo.pt
Beijinhos


De Lua de Sol a 9 de Outubro de 2007 às 16:42
É verdade... o GNOMO???? Nunca mais soube nada dele...


De Estupefacta a 9 de Outubro de 2007 às 22:05
Pois... Nunca mais apareceu e tenho saudades (confesso) dos seus grandes comentários cheios de rimas e sabedoria. Acho que sou a culpada: afugentei-o


De drink a 9 de Outubro de 2007 às 17:13
Vai haver alturas que que ouvir, mãe tou com este ou com aquele, e ela a desejar não dizer.. é assim, será sempre assim.

Mas eu acho que nunca dei assim tantas satisfações à minha mãe, pelo menos que eu me lembre.

Se é normal, acho que isso já depende de cada um de nós, da nossa maneira de ser, uns dão satisfações que até chateia, outros até chateiam de não dar nenhumas..! Enfim..

Mas no fimd e contas, não é bom ouvir tantas vezes a palavra mãe?

bjinho grande..


De Estupefacta a 9 de Outubro de 2007 às 22:09
É Diana é muito bom ouvir essa palavra «mãe», mas fico apreensiva com a insistência... Talvez a rapariga precise de aprovação para tudo o que faz e isso não é bom.
Eu não me lembro como era nesta idade, mas não devia ser assim, nem a minha mãe tinha tempo para iso (5 filhos não dava muito tempo de antena a cada um).
A Maria é um pouco mãe-dependente...
Um grande beijinho


De drink a 9 de Outubro de 2007 às 22:18
Por que não a inscreve em algo em que ela tenha que estar fora da mãe uns dias, para ver como ela reaje?
Sei lá, vou puxar um bocadinho a brasa à minha sardinha.. mas os escuteiros seria uma boa opção..

Talvez perde-se um pouco essa dependência da mãe, e a mãe podia ir passear com as amigas enquanto a filha esta fora

bjinho


De Estupefacta a 9 de Outubro de 2007 às 22:26
Tens razão, mais uma vez.
Escuteiros é uma excelente opção. O meu sobrinho mais velho é escuteiro e faz acantonamentos e acampamentos maravilhosos. Depois há todos os valores que são transmitidos e que considero muito positivos para a formação das pessoas. Mas vai ser uma tarefa difícil. A Igreja que frequento faz «retiros de adolescentes e de pré adolescentes. A Maria mostra-se sempre muito entusiasmada com a ideia, mas quando se aproxima o dia.....
Um grande beijinho e obrigada por tudo


De drink a 9 de Outubro de 2007 às 22:37
quando chega o dia tem que ir como os outros todos..
eu vejo pelos lobitos (os mais pequenitos, penso que sabe), que fartam-se de chorar porque querem os pais. Mas se os pais não forem a correr busca-los e se continuarem a "envia-los" sempre para os acampamentos/acantonamentos, deixam de chorar porque vêm que não lhes adianta de nada.
A mãe tem que dar o "pontapé" à filha.

Mas a Maria já ficava nos verdinhos (exploradores) já é um bocadinho diferente.

Sim, os valores, ou seja, a nossa canhota! não me ajeito nada com a esquerda, mas tenho tanto orgulho por me reger por ela.

De nada.. é um prazer!

Ps: este prazer ainda é maior, angariar mais uma para a comunidade dos lenços.
Ps2: quero ver a Maria a escrever daqui a uns tempos com entusiasmo que vai fazer o seu primeiro acampamento.


De saozinhasimoes a 9 de Outubro de 2007 às 21:13
Está de parabéns por ter uma filhota assim, nos nossos dias não é muito frequente, mas prepare-se, porque isso vai passar, falo por experiência própria.
Sou mãe de duas raparigas e um rapaz, que já são adultos e na adolescência também faziam o mesmo, pediam-me autorização para tudo. Mas quando foram para a Universidade, tornaram-se muito independentes, e nós pais, sabemos que um dia que os filhos a partir de uma certa idade já não são nossos. Enfim é assim a vida. Desejo-lhe muitas felicidades


De Estupefacta a 9 de Outubro de 2007 às 22:17
Olá Sãozinha
Obrigada pelas suas palavras. Se calhar vou ter saudades, tal como tem dos seus que agora são tão independentes. Neste preciso momento acabou de me dizer: «mãe, vou levar este livro para amanhã estudar, está bem?».... Tinha necessidade disto? Fico com a dúvida.
Tenho consciência que tal como diz o poeta «as suas pernas crescem e vão com as aves», mas enquanto não, gosto de a ter debaixo das minhas penas. sou muito mãe galinha e esse deve ser o mal.
Um grande beijinho e obrigada do fundo do coração


De daplanicie a 10 de Outubro de 2007 às 13:28
O meu também passou essa fase onde até chegou ao cúmulo de me acordar de noite para fazer a importante comunicação de que ia à casa de banho.
:-) Agora já está um bocadinho mais reservado mas é da idade.
Beijinhos


De Estupefacta a 10 de Outubro de 2007 às 20:22
Sabes amiga, tranquilizas-me ao partilhares isso.
Um grande beijinho


Comentar post

mais sobre mim
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
26

27
28
29
30
31


posts recentes

A Pensar em si

Bendito serás

Feminino Singular

Todos devemos ajudar

Ainda há milagres

Podia

Acordo ortográfico

Gostei de ver e ouvir

Intimidade ou higiéne?

É bonito

Sem título

Agitação social

Desde que

Preciso

A Estupefacta sou eu

Não consigo preparar-me

Como uma mulher pode alte...

Excelente ideia e melhor ...

Genes cor de rosa

E assim se tapa o Sol

arquivos
tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds