Domingo, 1 de Julho de 2007

 

AMO-TE!

Mas que amor é esse?

São cada vez mais as mulheres que são vítimas de violência física e psicológica.

Embora estejamos no século XXI, onde a mulher cada vez mais ocupa um lugar de liderança num mundo dominado pelo homens, estes casos existem em maior número.

Eu também cai na banheira....

Eu também bati na porta do armário .

Eu também escorreguei nas escadas.

Eu também cai do escadote.

Até quando?

O perfil da vítima está definido pelos estudiosos. O perfil do agressor também.

A vitima defende o seu marido ou companheiro continuadamente. Acredita numa verdade que é só dela: ele muda, ele ama-me, à sua maneira mas ama, esta foi a última vez, ele perdeu o controle.....

A dor física passa e a psicológica?

O agressor leva a vitima a acreditar que esta foi a última vez: recomeçam as mensagens de perdão, o choro de arrependimento, a compra de flores, a compra de postais..... e, na primeira oportunidade, tudo se repete.

Mais uma vez a mulher acreditou naquela fase de enamoramento, naquela fase de perdão e....

Tudo volta a repetir-se, como se de um ciclo vicioso se tratasse.

Este post foi escrito, mais uma vez sob impulso.

Vi uma mulher linda, que conheço há algum tempo, marcada. Antes que lhe dissesse alguma coisa, já me estava a contar que ao entrar para o carro tropeçou, levou com a porta, e ficou toda torcida.

Olhei, sem comentar, e vi as marcas dos dedos bem definidas nos seus braços, no seu pescoço.

Senti-me tremer de raiva de angústia, de dor: disse-lhe que bastava ligar o 112.

Até quando vamos continuar a deixar que isto aconteça. Fiz o que tinha de ser feito: denunciei .

Se a ilusão vai continuar? Provavelmente sim.

EU NÃO VOU FICAR CALADA, É CRIME PÚBLICO.

 

Até quando?!!!!!

 


sinto-me

publicado por Estupefacta às 20:01 | link do post | comentar

18 comentários:
De Milena a 1 de Julho de 2007 às 21:51
Infelizmente casos como estes são muito comuns nos nossos dias.
As próprias vitimas escondem estes actos dos seus companheiros, por vergonha do que os outros possam dizer\pensar, porque acreditam que as coisas vão mudar, por medo de ficar sózinhas, etc.
Se as próprias vitimas não têm coragem de denunciar, que tenham quem o faça por elas, porque este tipo de violência contra nós mulheres é um crime horroroso.
Parabéns pelo teu acto, ao ficarmos caladas perante estas situações é uma maneira de colaborar com o criminoso.
beijinho


De Estupefacta a 1 de Julho de 2007 às 22:06
Olá Milena
Este tema mexe muito comigo, é uma verdade.
Eu nunca ficarei calada perante este acto criminoso.
As mulheres ficam caladas, por medo, por vergonha, por amor....
Embora os números de denuncia tenham aumentado, nas grandes cidades sobretudo, estão muito aquém da realidade.
Um beijinho grande e uma boa semana de trabalho


De AmigoDistante a 1 de Julho de 2007 às 22:23
vou comentar com um poema,

Eu...
Florbela Espanca

Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada... a dolorida...

Sombra de névoa tênue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...

Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber por quê...

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou!

pois para mim a mulher é uma pomba branca e com o meu pai me ensinou a mulher não se bate dá-se flores .......

um abraço, AmigoDistante
PS: preciso de um email seu para enviar um texto, obrigado.


De Estupefacta a 1 de Julho de 2007 às 23:25
Olá Amigo Distante, eu diria amigo próximo e presente.
É lindo este poema de Florbela Espanca. Abarca muitos «eus ».
O meu mail é Estou_Estupefacta@sapo.pt .
Um beijinho



De aspalavrasnuncatedirei a 1 de Julho de 2007 às 22:55
Quantas mulheres por esse mundo fora conhecem este «amor amargo».
Esta questão também me choca e um dia construí um conto sobre ela.
http://aspalavrasnuncatedirei.blogs.sapo.pt/37959.html


De Estupefacta a 1 de Julho de 2007 às 23:29
Olá Palavras Nunca Te Direi
Obrigada pelos miminhos que nos tens deixado.
Vou ler com atenção o texto que escreveste sobre este tema.
É um assunto que me deixa revoltada e amargurada . Ainda não consigo perceber o que leva alguém a agir assim.

Um beijinho muito grande


De kyara a 2 de Julho de 2007 às 01:02
com poucas palavras...
que realidade absurda esta!
[:(
beijinho]


De Estupefacta a 3 de Julho de 2007 às 09:45
Olá Kyara
Tens razão, é absurda, mas é a realidade.
Beijinhos grandes


De Ritynhaa a 2 de Julho de 2007 às 13:28
Ola...
Em pleno século XXI custa-me acreditar que alguém ainda possa fazer isto a alguém. As vitimas 'escondem-se' dos amigos e dos familiares para não terem de denunciar alguém que, inconscientemente, amam. Quem faz uma, é bem capaz de fazer duas, três ou as que quiser. Deve ser horrivel viver em constante sobressalto, sem saber quando é que lhe 'vai dar para aquilo'.
Violência Domestica é crime. Pena é que por vezes as vitimas tenham de viver num clima 'inseguro' entre o momento em que denuciam o agressor e o julgamento.

Fez o que alguém devia ter feito, antes que acontecesse algo. Parabéns pela sua atitude.

Beijinho'


De Estupefacta a 3 de Julho de 2007 às 09:47
Ola Ritynhaa
Pois é amiga, quem faz a primeira.... vai repetir com certeza.
As vitimas acabam por acreditar nas suas próprias desculpas, até que um dia... é tarde de mais.
Um beijinho grande


De verdadedemim a 2 de Julho de 2007 às 13:57
Bom dia...
Muito verdadeiro este teu texto..
Infelizmente ja passei por essa situação e muito me arrependo de nunca o ter denunciado..mas o medo era maior k tudo e sentia-me fraca... até havia alturas k ja nem sabia k desculpas inventar...
Felizmente tudo terminou e hoje amo outra pessoa mas em primeiro lugar amo-me a mim ...
Tem um belo cantinho de reflexão...


De Estupefacta a 3 de Julho de 2007 às 09:51
Olá Verdade de Mim
Agradeço as tuas palavras e dou-te os Parabéns pela coragem em por um términos . O amor próprio é o fundamental, mas nem todos temos e daí deixarmos que isto aconteça.
A dignidade humana é demasiado importante. Fico feliz por seres feliz.
Um beijinho


De eltijas a 2 de Julho de 2007 às 20:19
Enquanto tivermos um governo, policias, etc. que simplesmente "patrocinam" a violência doméstica, dizendo que entre mulher e marido não se mete a colher… não há muito a fazer.
Com leis, como a taxa que as pessoas vitimas de violência doméstica ( ver o meu post sobre este tema no meu blog em http://le_debates.blogs.sapo.pt/2004.html) ainda tem que pagar quando vão ao hospital, sinceramente, não espero outra coisa senão o aumento da violência doméstica…
Agora peço uma coisa, como homem, não chamem homem a um “sujeito” que agredi uma mulher só porque querer.


De Estupefacta a 3 de Julho de 2007 às 09:56
Bom dia Eltijas
Obrigada por teres vindo.
Tens toda a razão no que referes. Há, de facto, uma política de alheamento em relação a esta violência.
Li o teu post sobre a «Sara» e revolveu-me o mais profundo do meu ser.
São desumanos.
Um beijinho


De Tg a 2 de Julho de 2007 às 21:43
Na minha opinião...não é amor é posse... Só um sentimento de posse assim doentio poderá "justificar" (como se fosse possível justificar tal absurdo), tamanha barbaridade...
Nunca entendi muito bem esse tipo de comportamento (sobretudo o da vitima, que sofre em silêncio mas...)... Deixo-te aqui o link de uma publicidade que passa nos canais de televisão francesa, está por consequência em francês mas, dá perfeitamente para perceber a ideia...
http://www.youtube.com/watch?v=wpgV53UpJSY
Fizeste muito bem em denunciar... Teria feito o mesmo.



De Estupefacta a 3 de Julho de 2007 às 09:58
Obrigada Tg
Acabei por deixar o comentário no teu blogue.
Há muitos factores e condicionantes que levam a estas atitudes por parte das vitimas.
Brevemente publicarei o vídeo.
Um beijinho grande


De daplanicie a 3 de Julho de 2007 às 11:41
Não consigo compreender o porquê de as mulheres se sujeitarem a maus tratos por parte de quem lhes promete amor. Que falta de auto-estima e que traumas estão por trás de um sentimento de submissão tal? É coisa que nem sequer consigo imaginar!!


De Estupefacta a 3 de Julho de 2007 às 18:02
Pois é amiga, a mente humana é uma rede muito complexa.
Os factores são tantos, as condicionantes também são imensas. Tudo parte da imagem que temos ou que nos fazem ter de nós. A dignidade humana está subvertida.
Um beijinho grande e até já (já vou espreitar o teu blogue)


Comentar post

mais sobre mim
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
26

27
28
29
30
31


posts recentes

A Pensar em si

Bendito serás

Feminino Singular

Todos devemos ajudar

Ainda há milagres

Podia

Acordo ortográfico

Gostei de ver e ouvir

Intimidade ou higiéne?

É bonito

Sem título

Agitação social

Desde que

Preciso

A Estupefacta sou eu

Não consigo preparar-me

Como uma mulher pode alte...

Excelente ideia e melhor ...

Genes cor de rosa

E assim se tapa o Sol

arquivos
tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds